Logo UFPR

UNIVERSIDADE
FEDERAL DO PARANÁ

Projeto da UFPR faz vaquinha para expandir produção de protetores faciais hospitalares contra a Covid-19

Com foco na meta de fabricar em maior escala o protetor facial (face shield), um dos equipamentos de proteção individual (EPI) usados por profissionais de saúde em hospitais durante a pandemia do novo Coronavírus, estudantes da Universidade Federal do Paraná (UFPR) fizeram uma vaquinha virtual para atender à demanda dos hospitais de Curitiba. A doação foi aberta pela empresa júnior de Engenharia Mecânica, a CoemJr, para subsidiar o trabalho de pessoal de diversos departamentos da UFPR reunido em torno do projeto de extensão Engenhar-Mec, do Departamento de Engenharia Mecânica (Demec), especializado em impressoras 3D.

A meta é conseguir pelo menos R$ 10 mil e, até as 12 horas desta quinta-feira (2), mais de R$ 5,7 mil haviam sido arrecadados com o apoio de 56 doadores. Segundo o professor Sérgio Fernando Lajarin, do Demec e coordenador do Engenhar-Mec, a vaquinha ajudará o projeto a manter a produção, que tem recebido pedidos diários de pelo menos quatro hospitais e clínicas de Curitiba (o número tende a crescer), além do Samu e postos de saúde. “Hoje [quarta] entregamos 42 máscaras e recebi uma encomenda para mais 100”, conta.

Protetor facial produzido com impressora 3D pela equipe mobilizada em torno do Engenhar. Foto: Divulgação

O grupo vinha atuando desde o último dia 21 no apoio ao projeto Atitude 3D, mobilizado em Curitiba, por meio de fornecimento de peças feitas em impressora 3D — contando principalmente com dinheiro doado por membros do grupo. À medida que o trabalho evoluiu, professores e estudantes perceberam que poderiam ajudar mais. “Agora estamos fazendo a máscara toda e também entregando”, conta Lajarin.

Segundo o professor Márcio Carboni, do Departamento de Expressão Gráfica (Degraf), a expectativa é de que os recursos ajudem em melhorias no processo de produção, a fim de que ela ganhe escala. “Poderíamos passar a produzir as máscaras de forma injetada, que permite mais produção. Mas para isso precisamos de materiais como elásticos e o PetG [termoplástico que cobre o rosto do usuário do protetor], que já está difícil de achar na cidade”, conta.

Apoiadora frequente do Engenhar-Mec, a CoemJr entrou como facilitadora para intermediar a vaquinha, além de ter doado recursos para a construção de 500 máscaras, explica a diretora da empresa junior, Mariana Mayer, estudante do segundo ano de Engenharia Mecânica.

Coordenação

O apoio financeiro permitirá que a UFPR assuma a coordenação de um grupo próprio, centrado no pessoal reunido pelo Engenhar. Além do Demec, estão envolvidos professores e estudantes de três departamentos (Expressão Gráfica, Design e Física) e do Setor de Educação Profissional e Tecnológica (Sept).

Assim, a UFPR pretende reunir mais parceiros — como empresas, universidades e fundações — para atender à demanda dos hospitais de forma mais eficiente. “É um momento de aprendizado muito grande, porque é um esforço para atender metas maiores”, conta a professora Maria Lucia Okimoto, do Demec.

Para apoiar a vaquinha do Engenhar-Mec/UFPR, clique aqui

Saiba tudo sobre as ações da UFPR relacionadas ao Coronavírus neste link

Sugestões

Projeto de extensão leva Sessões Culturais para Escolas e Centros de Educação Infantil de Matinhos
O Mundo Mágico da Leitura, programa de extensão da Universidade Federal do Paraná (UFPR) reconhecido...
Núcleo de PD de Energia Autossustentável lança seu mais novo trabalho; saiba mais
O Núcleo de Pesquisa e Desenvolvimento de Energia Autossustentável (NPDEAS) da Universidade Federal do...
Voluntários das Universidades Federais unem esforços em apoio ao Rio Grande do Sul
As Universidades Federais de Minas Gerais, Paraná, Universidade de Uberaba, Instituto Federal do Sul...
UFPR e Neodent realizam juntas a atividade de extensão “Expedição novos sorrisos” 
Em parceria com a Neodent, a Universidade Federal do Paraná (UFPR), por meio do curso de Odontologia,...