Logo UFPR

UNIVERSIDADE
FEDERAL DO PARANÁ

Projeto da UFPR faz vaquinha para expandir produção de protetores faciais hospitalares contra a Covid-19

Com foco na meta de fabricar em maior escala o protetor facial (face shield), um dos equipamentos de proteção individual (EPI) usados por profissionais de saúde em hospitais durante a pandemia do novo Coronavírus, estudantes da Universidade Federal do Paraná (UFPR) fizeram uma vaquinha virtual para atender à demanda dos hospitais de Curitiba. A doação foi aberta pela empresa júnior de Engenharia Mecânica, a CoemJr, para subsidiar o trabalho de pessoal de diversos departamentos da UFPR reunido em torno do projeto de extensão Engenhar-Mec, do Departamento de Engenharia Mecânica (Demec), especializado em impressoras 3D.

A meta é conseguir pelo menos R$ 10 mil e, até as 12 horas desta quinta-feira (2), mais de R$ 5,7 mil haviam sido arrecadados com o apoio de 56 doadores. Segundo o professor Sérgio Fernando Lajarin, do Demec e coordenador do Engenhar-Mec, a vaquinha ajudará o projeto a manter a produção, que tem recebido pedidos diários de pelo menos quatro hospitais e clínicas de Curitiba (o número tende a crescer), além do Samu e postos de saúde. “Hoje [quarta] entregamos 42 máscaras e recebi uma encomenda para mais 100”, conta.

Protetor facial produzido com impressora 3D pela equipe mobilizada em torno do Engenhar. Foto: Divulgação

O grupo vinha atuando desde o último dia 21 no apoio ao projeto Atitude 3D, mobilizado em Curitiba, por meio de fornecimento de peças feitas em impressora 3D — contando principalmente com dinheiro doado por membros do grupo. À medida que o trabalho evoluiu, professores e estudantes perceberam que poderiam ajudar mais. “Agora estamos fazendo a máscara toda e também entregando”, conta Lajarin.

Segundo o professor Márcio Carboni, do Departamento de Expressão Gráfica (Degraf), a expectativa é de que os recursos ajudem em melhorias no processo de produção, a fim de que ela ganhe escala. “Poderíamos passar a produzir as máscaras de forma injetada, que permite mais produção. Mas para isso precisamos de materiais como elásticos e o PetG [termoplástico que cobre o rosto do usuário do protetor], que já está difícil de achar na cidade”, conta.

Apoiadora frequente do Engenhar-Mec, a CoemJr entrou como facilitadora para intermediar a vaquinha, além de ter doado recursos para a construção de 500 máscaras, explica a diretora da empresa junior, Mariana Mayer, estudante do segundo ano de Engenharia Mecânica.

Coordenação

O apoio financeiro permitirá que a UFPR assuma a coordenação de um grupo próprio, centrado no pessoal reunido pelo Engenhar. Além do Demec, estão envolvidos professores e estudantes de três departamentos (Expressão Gráfica, Design e Física) e do Setor de Educação Profissional e Tecnológica (Sept).

Assim, a UFPR pretende reunir mais parceiros — como empresas, universidades e fundações — para atender à demanda dos hospitais de forma mais eficiente. “É um momento de aprendizado muito grande, porque é um esforço para atender metas maiores”, conta a professora Maria Lucia Okimoto, do Demec.

Para apoiar a vaquinha do Engenhar-Mec/UFPR, clique aqui

Saiba tudo sobre as ações da UFPR relacionadas ao Coronavírus neste link

Sugestões

Seminário de Extensão sobre Enoturismo e o Desenvolvimento da Economia Local: as experiências italianas
O Departamento de Administração Geral e Aplicada da Universidade Federal do Paraná (UFPR) recebe um renomado...
Concurso de Identidade Visual do Projeto Ciências Agrárias em Ação na ONG Coletivo Inclusão
O Projeto de Extensão “Ciências Agrárias em Ação na ONG Coletivo Inclusão”, do Departamento de Economia...
Projeto LabCD da UFPR está com edital para seleção de bolsistas de extensão 
A Coordenação do Projeto de Extensão Laboratório de Cultura Digital da Universidade Federal do Paraná...
Seminário em Curitiba discute democracia brasileira com o apoio da UFPR
Os abalos e os riscos contínuos à democracia brasileira serão temas abordados durante o seminário “A...