Logo UFPR

UNIVERSIDADE
FEDERAL DO PARANÁ

Na linha de frente da ação climática, comunidade global prioriza os alertas precoces para todos

Comemorado em 23 de março, o Dia Meteorológico Mundial foi instituído pela Organização das Nações Unidas (ONU) em 1950 para destacar o trabalho desenvolvido pela meteorologia em prol do meio ambiente e da sociedade.

Neste ano, o tema definido pela Organização Meteorológica Mundial para celebrar a data é “Na Linha de Frente da Ação Climática”. Sediada em Genebra, na Suíça, a entidade chama a atenção para a urgência da mitigação e adaptação às mudanças climáticas: “Diante de desafios ambientais sem precedentes, nosso papel como cientistas e defensores do planeta nunca foi tão crucial e somos chamados a sermos agentes de mudança”, afirma a secretária geral, Celeste Saulo.

A comunidade meteorológica global está engajada na iniciativa “Alertas Precoces para Todos”. A prioridade dos serviços hidrometeorológicos é aprimorar seus sistemas de alerta precoce, considerados a peça central da adaptação e da redução de riscos de desastres: “Até o final de 2027, cada pessoa precisa ter acesso a informações meteorológicas e climáticas oportunas, autorizadas e que salvam vidas”, diz a mensagem.

Por darem às pessoas a oportunidade de se prepararem e limitarem o impacto das condições meteorológicas extremas, os sistemas de alerta precoce ajudam a reduzir a pobreza e a fome, melhorar a saúde e o bem-estar; garantir acesso à água potável e à energia limpa; proteger a vida debaixo d´água e em terra. Desse modo, a meteorologia contribui para tornar as cidades e comunidades mais resilientes às mudanças climáticas, conforme prevê o Objetivo de Desenvolvimento Sustentável nº 13.

Papel do Simepar – As mudanças climáticas devem tornar os fenômenos extremos mais frequentes e intensos no Paraná nas próximas décadas, afetando os sistemas naturais e humanos. Estudos e pesquisas do Sistema de Tecnologia e Monitoramento Ambiental do Paraná (Simepar) indicam que todas as regiões do Estado são vulneráveis a algum tipo de desastre ambiental intensificado pelas alterações nos padrões climáticos em longo prazo. “Empregamos os melhores recursos científicos e tecnológicos disponíveis para obtenção de dados fidedignos e geração de estimativas confiáveis que subsidiam políticas públicas de que é exemplo o Plano de Ação Climática do Paraná 2024-2050”, afirma o diretor presidente, Eduardo Alvim Leite.

Desenvolvido pelo Simepar, o Índice de Vulnerabilidade dos Municípios calcula o risco climático em relação às crises de estiagem e excesso hídrico, considerando alterações na magnitude, variabilidade e características do clima, sensibilidade e capacidade adaptativa de cada município e região do Estado perante os cenários futuros das mudanças climáticas, condicionado aos indicadores socioeconômicos. São aplicados modelos globais de circulação geral refinados para escalas regionais e locais que indicam o grau de exposição do município a eventos climáticos extremos. Outra importante ferramenta desenvolvida pelo Simepar é o Inventário Estadual de Emissões de Gases de Efeito Estufa, que contém dados dos 399 municípios paranaenses classificados por setor produtivo e respectivas atividades.

O coordenador de Operação do Simepar, meteorologista Marco Jusevicius, destaca o papel do empreendimento na geração de um banco de dados e informações para formar uma série climática histórica: “A meteorologia tem o papel de fazer as medições, registrar e tratar os dados da natureza para subsidiar previsões do tempo e estudos de longo prazo sobre os efeitos das mudanças nos padrões climáticos”. Para tanto, as condições do tempo e dos recursos hídricos são monitoradas 24 horas por dia.

As previsões do tempo, os alertas meteorológicos e os dados são disseminados para o público, governos e empresas. No setor público, são atendidos municípios, defesa civil, saúde e órgãos ambientais. No setor privado, destacam-se o agronegócio, cooperativas, indústrias, empresas de engenharia, energia, transporte, comércio, lazer e turismo.

Por meio de uma rede própria de 92 estações, sendo 50 meteorológicas, 57 hidrológicas e 15 pluviométricas, além de outras 42 unidades de clientes, o Simepar faz a medição sistemática das variáveis meteorológicas: temperatura e umidade do ar, pressão atmosférica, direção e velocidade dos ventos, radiação solar, localização e intensidade de chuvas e raios. Os dados são processados por sistemas computacionais inteligentes. Além disso, há três radares meteorológicos, um sistema de detecção de descargas atmosféricas e dados de satélites meteorológicos. A série histórica sobre o clima paranaense contém dados coletados desde 1997.

O Simepar integra o programa Sinais da Natureza, instituído pelo Governo do Paraná por meio da Secretaria do Desenvolvimento Sustentável (Sedest). O objetivo é desenvolver projetos de análise, monitoramento, modelagem, previsão e alerta do comportamento das variáveis meteorológicas, hidrológicas e ambientais. Também participa do ParanaClima em conjunto com a Sedest e o Instituto Água e Terra (IAT), que mapeia políticas ambientais e áreas de risco, definindo ações de mitigação dos efeitos das mudanças climáticas, seus impactos potenciais, medidas de resiliência e adaptação.

“O Dia Meteorológico Mundial nos recorda o quanto o clima influencia em nossas vidas e de que forma vamos nos preparar para eventos climáticos extremos. Fomentamos práticas sustentáveis com o Selo Clima Paraná, que reconhece empresas e instituições que, voluntariamente, medem, divulgam e adotam medidas para reduzir a pegada de carbono e combater as mudanças climáticas”, afirma o secretário do Desenvolvimento Sustentável, Valdemar Jorge.

Com informações de Valéria Prochmann/ Simepar

Foto de Destaque: World Meteorological Day 2024

Sugestões

Ações de divulgação científica da UFPR são apresentadas em encontro internacional na Espanha
As atividades de divulgação científica da Universidade Federal do Paraná (UFPR) foram apresentadas, esta...
UFPR recebe visita visita de cortesia da cônsul-geral do Canadá
O reitor da Universidade Federal do Paraná, Ricardo Marcelo Fonseca, recebeu  nesta quinta-feira...
UFPR lança plataforma de dados espaciais gratuita
Iniciativa do Laboratório de Geoprocessamento e Estudos Ambientais disponibiliza informações inéditas...
UFPR é destaque nacional no QS World University Rankings 2024
A Universidade Federal do Paraná (UFPR) foi reconhecida mais uma vez como uma das melhores universidades...