Logo UFPR

UNIVERSIDADE
FEDERAL DO PARANÁ

Ciência UFPR: Espécie rara de morcego é reencontrada após mais de um século sem registros

Descoberta ocorreu durante projeto de pesquisa em Palmas (PR) e revelou espécie em risco de extinção. Primeira e única descrição da espécie Histiotus alienus era de 1916, feita por um naturalista inglês. Além de ilustrar a biodiversidade brasileira, teria essa história relação com o colonialismo científico?

É um morcego pequeno, de cerca de 12 centímetros da cabeça aos pés, mas até a sua presença ser registrada em uma área de transição entre campos naturais e florestas de araucárias do Paraná há uma longa história a ser contada. O morcego da espécie Histiotus alienus havia sido documentado pela primeira e única vez por um naturalista inglês em 1916, depois de ser capturado em Joinville, no Norte de Santa Catarina. Assim, teve seu corpo catalogado entre as espécies da biodiversidade da América do Sul no Museu de História Natural de Londres.

Localizado inicialmente em uma área costeira de Santa Catarina, o morcego agora foi encontrado em uma floresta de araucárias no Sudoeste do Paraná. Fotos: Vinícius C. Cláudio/Fiocruz/Promasto

Mais de um século depois, o encontro de pesquisadores brasileiros com a espécie, que teve o registro publicado em setembro no periódico ZooKeys, fez avançar o conhecimento sobre esse mamífero voador da Mata Atlântica.

A captura do morcego ocorreu em 2018, durante o trabalho dos pesquisadores do projeto “Mamíferos do Refúgio de Vida Silvestre dos Campos de Palmas e do Parque Nacional dos Campos Gerais”, o Promasto. Financiado pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), o projeto tem o objetivo de documentar os mamíferos dessas duas unidades de conservação paranaenses e já investigou o impacto da descontinuidade das unidades de conservação na vida deles.

O morcego, um macho, foi interceptado por equipamentos para captura chamado rede de neblina, uma rede de malha de náilon instalada em pontos estratégicos do refúgio, que fica em Palmas, cidade de 52 mil habitantes no Sudoeste do Paraná. A unidade de conservação é federal, gerida pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio).

Leia a matéria completa no site da Ciência UFPR

Conheça e acompanhe os canais da Ciência UFPR aqui

Edição 7 - Revista Ciência

Sugestões

Nota à Comunidade Acadêmica sobre o fim da greve dos professores
Em assembleia realizada na data de hoje (20/06), convocada pela Associação dos Professores da UFPR (APUFPR),...
Aluna da UFPR vence Congresso Internacional de Educação Médica e Inovação com startup
Entre os dias 08 e 10 de junho, Letícia Farias de Souza, aluna do 11º período do curso de Medicina da...
Aluno da UFPR recebe premiação na 47ª Reunião Anual da SBQ
No período de 22 a 25 de maio aconteceu a 47ª Reunião Anual da Sociedade Brasileira de Química, ...
Projeto de Extensão da UFPR realiza podcast mensal; saiba mais
O Eduquê é um podcast mensal que promove a partilha de conhecimento qualificado por ativistas e acadêmicos...