Logo UFPR

UNIVERSIDADE
FEDERAL DO PARANÁ

Simepar prevê outono ameno, com veranicos, nevoeiros e geadas pouco frequentes

La Niña resfria as águas do Pacífico Equatorial

O outono tem início à 0h06 desta quarta-feira 20 de março e termina às 17h51 de 20 de junho de 2024. Segundo a previsão do Sistema de Tecnologia e Monitoramento Ambiental do Paraná (Simepar), o primeiro dia da estação no estado será abafado e quente, o que favorece a formação de áreas de instabilidade a partir do período da tarde. O tempo fica parcialmente nublado com pancadas de chuva isoladas e trovoadas. A menor temperatura prevista é 19 ºC em Guarapuava. A maior – 25 ºC – deve ocorrer em Paranaguá, Guaíra e Foz do Iguaçu.

O cenário climático global indica dissipação do fenômeno El Niño, que predominou durante o verão. Entra em cena La Niña, fenômeno climático que caracteriza o resfriamento das águas do oceano Pacífico Equatorial até atingir o ápice na primavera. “A temperatura média do ar tende a ficar entre próxima e ligeiramente acima da normalidade climatológica, exceto na região litorânea, onde segue o padrão para a estação”, informa o meteorologista do Simepar, Reinaldo Kneib. Estão previstos alguns períodos de temperaturas elevadas. As manhãs e noites tornam-se progressivamente mais frias.

O regime de chuvas tende a acompanhar a normalidade climatológica no Litoral, na Capital e Região Metropolitana. A previsão para as demais regiões é de precipitação abaixo da normalidade. “Estão previstos períodos de tempo seco – os chamados veranicos –, bem como nevoeiros e os primeiros episódios de geada, característicos da estação”, observa o meteorologista.

Climatologia – O outono paranaense caracteriza-se pela redução no volume de chuvas em relação ao verão, causada pelo deslocamento de massas de ar frio e seco. Maio costuma ser o mês mais chuvoso. A direção predominante do vento médio do Sul para o Norte do continente favorece a entrada de sistemas de alta pressão atmosférica. Aumenta o intervalo entre as chuvas, associadas à passagem de frentes frias. Os maiores volumes ocorrem habitualmente nas regiões Sudoeste e Oeste. Os menores são registrados no Norte.

Ao longo da estação, as massas de ar frio e seco provenientes da Antártica e/ou do Sul da América do Sul avançam em direção ao Paraná, causando a queda das temperaturas e períodos frios. Formam-se geadas nas regiões mais altas – Sul, Centro-Sul e Campos Gerais. Em www.simepar.br estão disponíveis informações atualizadas sobre as condições do tempo no quadro Palavra do Meteorologista. Pode ser consultada a previsão para até quinze dias por município e região do Paraná. Também podem ser visualizadas imagens de satélite, radar, raios, modelo numérico e telemetria (temperaturas e chuvas). Previsões são divulgadas diariamente no podcast Simepar Informa.

Agrometeorologia – “Principal cultura do outono paranaense, o milho segunda safra deve ter bom desenvolvimento e boa produtividade, exceto se ocorrer algum evento meteorológico extremo, como geada precoce ou veranico intenso”, afirmam as agrometeorologistas do Instituto de Desenvolvimento Rural – IDR-Paraná, Ângela Beatriz Costa e Heverly Morais. O risco de danos foi reduzido pela antecipação da semeadura. A cultura do feijão segunda safra também pode ser afetada negativamente em caso de escassez de chuva e frio precoce intenso, pois é sensível à geada e à restrição hídrica, apesar do ciclo ser mais curto.

Segundo as pesquisadoras, havendo previsão de geada, as olerícolas e os cafeeiros precisam de proteção por serem extremamente sensíveis a baixas temperaturas. “O cenário previsto de frio e estiagem também é crítico para a manutenção da massa verde das pastagens, podendo dificultar a alimentação dos animais e o manejo dos rebanhos, aumentando custos para complementar a alimentação com silagem e ração”, avaliam. A cultura do trigo deve se desenvolver normalmente por ser adaptada ao outono/inverno e tolerante a veranicos e eventuais episódios de frio intenso.

Alerta geada – Em maio entra em operação o serviço Alerta Geada, desenvolvido pelo IDR-Paraná e Simepar. Os informes abrangem todas as regiões do Paraná por categorias de intensidade de geada: fraca, moderada ou forte. As mensagens são disseminadas por celular e e-mail para usuários cadastrados, com antecedência de 72, 48 e 24 horas.

Tabela – Valores médios históricos de chuva (faixa de variação), temperaturas do ar mínimas e máximas para cada região do Paraná nos meses de abril, maio e junho

Fonte: Simepar

Obs.: Estes dados são divulgados para fins de informação como referenciais das médias históricas para a estação. Não devem ser utilizados para deduções sobre previsão do tempo, a qual é feita por profissionais de meteorologia com base na análise de um conjunto de fatores e indicadores de monitoramento ambiental da atualidade.

Por Valéria Prochmann, Simepar

Imagem de Rebekka/Pixabay

Sugestões

Ações de divulgação científica da UFPR são apresentadas em encontro internacional na Espanha
As atividades de divulgação científica da Universidade Federal do Paraná (UFPR) foram apresentadas, esta...
UFPR recebe visita visita de cortesia da cônsul-geral do Canadá
O reitor da Universidade Federal do Paraná, Ricardo Marcelo Fonseca, recebeu  nesta quinta-feira...
UFPR lança plataforma de dados espaciais gratuita
Iniciativa do Laboratório de Geoprocessamento e Estudos Ambientais disponibiliza informações inéditas...
UFPR é destaque nacional no QS World University Rankings 2024
A Universidade Federal do Paraná (UFPR) foi reconhecida mais uma vez como uma das melhores universidades...